10 coisas muito legais para você experimentar em outubro

ksuklein / Getty Images / BuzzFeed Brasil

Nós do BuzzFeed Brasil estamos sempre testando produtos e ideias que melhorem nossos dias, então resolvemos dividir algumas indicações do que curtimos com vocês.

Em “coisas que compramos” você vê produtos que cada um adquiriu com seu próprio dinheiro.

Em “coisas que experimentamos” estão produtos enviados como cortesia pelas empresas, mas o BuzzFeed não tem nenhuma obrigação de escrever sobre eles, muito menos falar bem.

Já em “coisas que testamos” você lê sobre atividades que colocamos em prática em nossas rotinas ou coisas que achamos interessantes.

1. Sabonete Limpeza Facial 2 em 1 Nivea – R$ 9

Minha pele estava horrível, ficava muito ressecada ou muito oleosa. Eu precisava fazer algo por ela e a primeira decisão foi suspender os produtos que usava sempre. Por isso fui a uma farmácia em busca de um produto simples que pudesse limpar a minha pele sem piorar o estado dela. Achei esse sabonete da Nivea e foi amor à primeira vista. Usei por duas semanas e minha pele incrivelmente voltou a ficar macia e hidratada. Ele se tornou minha nova paixão, pois o custo benefício vale muito a pena. Além disso, ele é extremamente prático, já que uso sempre no banho. Já são quatro semanas usando esse sabonete e ele está longe de acabar, algo que valorizo. – Aline Ramos

Aline Ramos

Minha pele estava horrível, ficava muito ressecada ou muito oleosa. Eu precisava fazer algo por ela e a primeira decisão foi suspender os produtos que usava sempre. Por isso fui a uma farmácia em busca de um produto simples que pudesse limpar a minha pele sem piorar o estado dela. Achei esse sabonete da Nivea e foi amor à primeira vista. Usei por duas semanas e minha pele incrivelmente voltou a ficar macia e hidratada. Ele se tornou minha nova paixão, pois o custo benefício vale muito a pena. Além disso, ele é extremamente prático, já que uso sempre no banho. Já são quatro semanas usando esse sabonete e ele está longe de acabar, algo que valorizo. – Aline Ramos

2. Batom líquido Forever Matte, RK by Kiss – R$ 15

Sou viciada em batom e não saio um dia de casa sem, mas ando meio enjoada da minha coleção, então estava procurando novas cores. Xeretando a lojinha de cosméticos que tem perto da minha casa encontrei o batom líquido Forever Matte da RK by Kiss NY. Nunca tinha ouvido falar da marca, mas testei e vi que as cores não só são lindas como têm acabamento e duração ótimos — além da embalagem super fofa que lembra c e r t a s outras embalagens de uma famosa gringa aí. Ele fica na boca o dia todo e não transfere quando você come ou bebe alguma coisa, um sonho. Só não comprei todas as cores porque já tava tudo esgotado! – Chris Dierkes

Chris Dierkes

Sou viciada em batom e não saio um dia de casa sem, mas ando meio enjoada da minha coleção, então estava procurando novas cores. Xeretando a lojinha de cosméticos que tem perto da minha casa encontrei o batom líquido Forever Matte da RK by Kiss NY. Nunca tinha ouvido falar da marca, mas testei e vi que as cores não só são lindas como têm acabamento e duração ótimos — além da embalagem super fofa que lembra c e r t a s outras embalagens de uma famosa gringa aí. Ele fica na boca o dia todo e não transfere quando você come ou bebe alguma coisa, um sonho. Só não comprei todas as cores porque já tava tudo esgotado! – Chris Dierkes

3. Coloração semi permanente HARD FIX, Keraton – R$ 20,80

Suria Rocha

Dá um trabalho danado manter o cabelo loiro, principalmente o meu que cresce mais rápido que erva daninha. Eu queria mudar a cor, fazer algo diferente há algum tempo mas sem me comprometer muito ou gastar um milhão de reais com isso. Numa das minhas idas à perfumaria eu vi o Keraton HARD FIX, uma coloração tonalizante semipermanente (sem amônia), disponível em diversas cores fantasia.

Primeiro comprei o Ozzy Lilac e apliquei em uma mecha de cabelo, no tom que meu cabelo já estava, sem descolorir mais, só pra ver como ficava. Achei o

produto super fácil de aplicar e gostei do tom de roxo que ficou no meu cabelo. Em mais ou menos mês já tinha saído praticamente tudo, o que é bom caso você mude de ideia ou não goste tanto assim do resultado.

Numa segunda ida à perfumaria eu procurei algo menos discreto e fui logo no Lily Rose, desta vez aplicando no cabelo todo. Como meu cabelo está num tamanho médio, eu consegui aplicar umas duas vezes.

O HARD FIX é uma opção bem legal pra quem tem o cabelo bem claro ou descolorido e quer mudar totalmente sem agredir muito os fios. Eu quero muito experimentar outras cores antes de voltar para o loiro de novo. – Suria Rocha

4. Livro “Extraordinário”, da R. J. Palacio – R$ 23 (digital) e R$ 24 (impresso)

Quando fiz o post de frases mais bonitas da literatura, "Extraordinário" me chamou atenção porque muita gente tinha falado dele com paixão. Fiquei curiosa e decidi ler pra ver se era tão bom assim. Li inteiro em um final de semana e amei demais. "Extraordinário" conta a história de um garoto, August Pullman, que nasceu com uma síndrome genética cuja sequela principal é a deformidade do seu rosto. Por conta disso, desde que nasceu, August passou por inúmeras cirurgias e nunca tinha frequentado uma escola. O livro retrata justamente o momento em que ele passa a frequentar uma escola. A história é narrada sob o ponto de vista de todo mundo que convive com ele. Inclusive, essa é uma das coisas mais legais do livro, porque nos mostra que uma história sempre pode ter outro ponto de vista e é mais complexa do que a gente imagina. O livro também é repleto de frases e mensagens motivacionais. Acho que qualquer um que ler, independente da idade, vai lembrar dos tempos da escola e refletir sobre a própria a vida, pois sempre vamos ter que lidar com as diferenças uns dos outros. "Extraordinário" também vai virar filme e estou muito ansiosa para assistir. – Aline Ramos

Aline Ramos

Quando fiz o post de frases mais bonitas da literatura, “Extraordinário” me chamou atenção porque muita gente tinha falado dele com paixão. Fiquei curiosa e decidi ler pra ver se era tão bom assim. Li inteiro em um final de semana e amei demais.

“Extraordinário” conta a história de um garoto, August Pullman, que nasceu com uma síndrome genética cuja sequela principal é a deformidade do seu rosto. Por conta disso, desde que nasceu, August passou por inúmeras cirurgias e nunca tinha frequentado uma escola. O livro retrata justamente o momento em que ele passa a frequentar uma escola. A história é narrada sob o ponto de vista de todo mundo que convive com ele. Inclusive, essa é uma das coisas mais legais do livro, porque nos mostra que uma história sempre pode ter outro ponto de vista e é mais complexa do que a gente imagina.

O livro também é repleto de frases e mensagens motivacionais. Acho que qualquer um que ler, independente da idade, vai lembrar dos tempos da escola e refletir sobre a própria a vida, pois sempre vamos ter que lidar com as diferenças uns dos outros. “Extraordinário” também vai virar filme e estou muito ansiosa para assistir. – Aline Ramos

5. Limpador de pincéis em spray Vult – R$ 27

Eu amo quase todas as etapas de se maquiar, mas tem uma que eu fico empurrando com a barriga até onde dá: a parte de lavar os pincéis. Eu tenho um milhão de pincéis e demora MUITO pra lavar tudo e esperar secar.Então eu descobri esse produtinho da Vult que promete te ajudar com isso. Você só precisa dar uma ~sprayzada~ e fazer movimentos circulares em uma toalha ou lenço (eu usei uns lenços umedecidos que tinham ressecado). Ele limpa pincéis dos poucos sujos até os mais encardidos, e como é meio à base de álcool seca quase instantaneamente!A única contra-indicação é que ele funciona melhor pra pincéis menores, os grandes – eu não sei se por terem muito pelo ou porque REALMENTE já estava na hora do banho deles – gastam muito produto e não ficam muito limpos e secos. A impressão é como eles ficassem meio embatumados, sabe?O produto é quase como um shampoo seco pra pincéis: é bem prático, dá aquele talento no entre-banhos, mas não substitui a lavagem real oficial. – Juliana Kataoka

Juliana Kataoka

Eu amo quase todas as etapas de se maquiar, mas tem uma que eu fico empurrando com a barriga até onde dá: a parte de lavar os pincéis. Eu tenho um milhão de pincéis e demora MUITO pra lavar tudo e esperar secar.

Então eu descobri esse produtinho da Vult que promete te ajudar com isso. Você só precisa dar uma ~sprayzada~ e fazer movimentos circulares em uma toalha ou lenço (eu usei uns lenços umedecidos que tinham ressecado). Ele limpa pincéis dos poucos sujos até os mais encardidos, e como é meio à base de álcool seca quase instantaneamente!

A única contra-indicação é que ele funciona melhor pra pincéis menores, os grandes – eu não sei se por terem muito pelo ou porque REALMENTE já estava na hora do banho deles – gastam muito produto e não ficam muito limpos e secos. A impressão é como eles ficassem meio embatumados, sabe?

O produto é quase como um shampoo seco pra pincéis: é bem prático, dá aquele talento no entre-banhos, mas não substitui a lavagem real oficial. – Juliana Kataoka

6. Pó volumizador para cabelos da quem disse, berenice? – R$ 40

Susana Cristalli, E aí Beleza / Via eaibeleza.com

Esse pó é tipo um talco que você aplica na raiz do cabelo e opera uma espécie de milagre pelo qual os fios – mesmo muito finos e escorridos como os meus – obedecem aos comandos e ganham um volume e uma textura mais encorpada. Claro, em contrapartida eles ficam bem rígidos e com uma sensação meio esquisita ao toque (nada terrível) até você lavar novamente. Você pode aproveitar a maleabilidade para fazer algum penteado sem os fios escaparem por todos os lados. ou usar o cabelo solto e bem armado — e não esqueça que quanto mais você mexer nele, mais armado fica! Achei bem eficiente para variar um pouco e parecer que fiz grandes coisas no cabelo sendo que nem pisei no salão. – Susana Cristalli

7. Usar o app Cuponeria para conseguir cupons de desconto.

O Cuponeria é um aplicativo (e um site) que reúne cupons de desconto de diversos tipos de estabelecimentos: restaurantes, supermercados, cinemas, lojas de roupa, etc. Os descontos são em sua maioria para lojas físicas, mas alguns podem ser usados online também. Já testei em cadeias de fast food e paguei metade do preço em combos e estou usando MUITO para ir ao cinema, já que tem um cupom de dois ingressos pelo preço de um. Recomendo para os quebrados, os mãos-de-vaca e pra quem quer economizar sem precisar perder a vida social. Uma desvantagem é que não funciona em todas as cidades do Brasil, pelo menos por enquanto. – Chris Dierkes

Reprodução

O Cuponeria é um aplicativo (e um site) que reúne cupons de desconto de diversos tipos de estabelecimentos: restaurantes, supermercados, cinemas, lojas de roupa, etc. Os descontos são em sua maioria para lojas físicas, mas alguns podem ser usados online também. Já testei em cadeias de fast food e paguei metade do preço em combos e estou usando MUITO para ir ao cinema, já que tem um cupom de dois ingressos pelo preço de um. Recomendo para os quebrados, os mãos-de-vaca e pra quem quer economizar sem precisar perder a vida social. Uma desvantagem é que não funciona em todas as cidades do Brasil, pelo menos por enquanto. – Chris Dierkes

8. Assistir ao documentário “The Defiant Ones”, da HBO.

Este documentário é imperdível, até para quem não curte muito música. São duas histórias de superação, foco e sucesso. "The Defiant Ones" conta as histórias de duas lendas da música, Jimmy lovine e Dr. Dre, e o vínculo de amizade e trabalho entre os dois. Foi filmado durante um período de três anos pelo diretor Allen Hughes, tem quatro partes e traça a história dos dois desde o início – Iovine no Brooklyn e Dr. Dre em Compton, na Califórnia, até que seus caminhos se cruzassem no final da década de 80. A série inclui comentários de ícones musicais, muitos deles descobertos pela dupla, como Bono, David Geffen, Eminem, Ice Cube, Gwen Stefani, Jon Landau, Tom Petty, Snoop Dogg, Bruce Springsteen e vários outros. – Manoela Costa
youtube.com

Este documentário é imperdível, até para quem não curte muito música. São duas histórias de superação, foco e sucesso. “The Defiant Ones” conta as histórias de duas lendas da música, Jimmy lovine e Dr. Dre, e o vínculo de amizade e trabalho entre os dois. Foi filmado durante um período de três anos pelo diretor Allen Hughes, tem quatro partes e traça a história dos dois desde o início – Iovine no Brooklyn e Dr. Dre em Compton, na Califórnia, até que seus caminhos se cruzassem no final da década de 80. A série inclui comentários de ícones musicais, muitos deles descobertos pela dupla, como Bono, David Geffen, Eminem, Ice Cube, Gwen Stefani, Jon Landau, Tom Petty, Snoop Dogg, Bruce Springsteen e vários outros. – Manoela Costa

9. Começar a fazer uma aula/exercício em conjunto com o pessoal do escritório.

Pra começar, nenhuma de nós tem afinidade com esportes ou exercícios físicos. Já tentamos fazer academia várias vezes na vida, porém sempre acontece o famigerado "pagar e não ir". E não é porque a gente tá esbanjando dinheiro, não, o problema sempre foi a falta de incentivo e determinação pra fazer algo que depende apenas de nós mesmas. E se somar com o fato de odiarmos o ambiente da academia então… Piorou. Um dia durante o almoço, a Guta comentou que tinha vontade de fazer uma aula experimental de pole dance no estúdio da Dani Volpi, que fica aqui perto do escritório. Já tinha passado pela cabeça de todas nós fazer aula de pole algum dia na vida, mas sabe como é, né, a gente se autossabota antes mesmo de começar as coisas com a desculpa de que é caro, é longe, "eu não tenho corpo pra isso", etc. Resolvemos tomar coragem e há um mês estamos fazendo aula juntas na mesma turma. O que a gente percebeu é que o pole não é só um exercício físico, mas um exercício para autoestima — a gente está aprendendo aos poucos a aceitar e lidar com o nosso corpo. O lado bom é que todo mundo está lá exposto do mesmo jeito lidando com as mesmas inseguranças e desafios. Além disso, não tem essa de preguiça! Se uma de nós não está num bom dia, as outras estão prontas pra incentivar e dar suporte. GRL PWR! – Maria Augusta Batalha, Agatha da Hora, Suria Rocha

BuzzFeed Brasil

Pra começar, nenhuma de nós tem afinidade com esportes ou exercícios físicos. Já tentamos fazer academia várias vezes na vida, porém sempre acontece o famigerado “pagar e não ir”. E não é porque a gente tá esbanjando dinheiro, não, o problema sempre foi a falta de incentivo e determinação pra fazer algo que depende apenas de nós mesmas. E se somar com o fato de odiarmos o ambiente da academia então… Piorou.

Um dia durante o almoço, a Guta comentou que tinha vontade de fazer uma aula experimental de pole dance no estúdio da Dani Volpi, que fica aqui perto do escritório. Já tinha passado pela cabeça de todas nós fazer aula de pole algum dia na vida, mas sabe como é, né, a gente se autossabota antes mesmo de começar as coisas com a desculpa de que é caro, é longe, “eu não tenho corpo pra isso”, etc.

Resolvemos tomar coragem e há um mês estamos fazendo aula juntas na mesma turma. O que a gente percebeu é que o pole não é só um exercício físico, mas um exercício para autoestima — a gente está aprendendo aos poucos a aceitar e lidar com o nosso corpo. O lado bom é que todo mundo está lá exposto do mesmo jeito lidando com as mesmas inseguranças e desafios.

Além disso, não tem essa de preguiça! Se uma de nós não está num bom dia, as outras estão prontas pra incentivar e dar suporte. GRL PWR! – Maria Augusta Batalha, Agatha da Hora, Suria Rocha

10. Passar três meses sem comer doces.

Essa sou eu e uma rosquinha. Eu amo rosquinha. Na verdade, eu amo COMIDA. Sou daquelas que não fica uma refeição sem falar sobre o assunto: tô sempre mastigando e pensando no que vou jantar. Gosto de falar que o Biotônico Fontoura que meus pais me deram quando criança teve efeito extremamente forte porém retardatário, me atingindo quando o metabolismo já não ajuda mais tanto. E a verdade é que depois de um tempo só mandando de tudo pra dentro e não equilibrando com alguma atividade física, foi batendo um pequeno desespero. Por isso, o que testei não esse mês, mas durante os três últimos meses, foi ficar sem doce algum, apenas frutas. No começo foi difícil porque apareciam algumas delícias que eu adorava e acabava questionando: será que eu preciso mesmo ir até o fim com isso? Mas com o passar do tempo ficava cada vez mais fácil resistir e a vontade era sempre menor. Senti como se eu tivesse feito um detox: me sentia mais leve no dia a dia e disposta a comer coisas mais saudáveis no geral. Claro que sem radicalidades, já que com salgado valia tudo. Eu não tenho balança em casa e não tenho hábito de me pesar, mas realmente percebi que desinchei ao final dos três meses (as roupas mais largas que o digam!) e pessoas que me encontravam comentavam também. Mas acho que tudo isso foi além de uma experiência física: foi uma sensação maravilhosa traçar um objetivo que dependia apenas da minha força de vontade para ser atingido. No dia 7 de setembro até tive um pequeno bloqueio para comer meu primeiro pedaço de doce (um pudim da minha avó) e cogitei prolongar este desafio! O pudim ganhou dessa vez, mas a vontade de repetir a dosagem no desafio ou dar uma maneirada cotidiana continua aí. – Paula Mascarenhas

Paula Mascarenhas

Essa sou eu e uma rosquinha. Eu amo rosquinha. Na verdade, eu amo COMIDA. Sou daquelas que não fica uma refeição sem falar sobre o assunto: tô sempre mastigando e pensando no que vou jantar. Gosto de falar que o Biotônico Fontoura que meus pais me deram quando criança teve efeito extremamente forte porém retardatário, me atingindo quando o metabolismo já não ajuda mais tanto. E a verdade é que depois de um tempo só mandando de tudo pra dentro e não equilibrando com alguma atividade física, foi batendo um pequeno desespero.

Por isso, o que testei não esse mês, mas durante os três últimos meses, foi ficar sem doce algum, apenas frutas. No começo foi difícil porque apareciam algumas delícias que eu adorava e acabava questionando: será que eu preciso mesmo ir até o fim com isso? Mas com o passar do tempo ficava cada vez mais fácil resistir e a vontade era sempre menor. Senti como se eu tivesse feito um detox: me sentia mais leve no dia a dia e disposta a comer coisas mais saudáveis no geral. Claro que sem radicalidades, já que com salgado valia tudo.

Eu não tenho balança em casa e não tenho hábito de me pesar, mas realmente percebi que desinchei ao final dos três meses (as roupas mais largas que o digam!) e pessoas que me encontravam comentavam também. Mas acho que tudo isso foi além de uma experiência física: foi uma sensação maravilhosa traçar um objetivo que dependia apenas da minha força de vontade para ser atingido.

No dia 7 de setembro até tive um pequeno bloqueio para comer meu primeiro pedaço de doce (um pudim da minha avó) e cogitei prolongar este desafio! O pudim ganhou dessa vez, mas a vontade de repetir a dosagem no desafio ou dar uma maneirada cotidiana continua aí. – Paula Mascarenhas